Arte com Comida

POR Pati Abbondanza

Tudo que envolve comida é uma arte. Cozinhar e comer são artes que fazemos todos os dias. Os restaurantes tratam refeições como obras próprias, e todo mundo aqui já viu aquele prato tão lindo que dá até dó de comer, né? Afinal, comemos com os olhos também…

Apesar disso, vamos falar da comida sendo usada puramente pra arte, pela estética. É a comida sendo usada para criar obras super bacanas e inusitadas, com ou sem cunho crítico. Apenas pela beleza da comida!

Selecionamos 5 artistas que usam alimentos para nos mostrar outro lado da arte. E começamos bem, mostrando o brasileiro Vik Muniz, que é famoso mundialmente por experimentar com novas mídias e materiais.

VIK MUNIZ

O artista é um dos clássicos nas obras com comida. O brasileiro sempre usa materiais não convencionais na sua arte, como vemos na Mona Lisa de pasta de amendoim ou no Fidel Castro desenhado com calda de amoras. Além da comida, o artista também usa lixo e flores.

WENDY VAN SANTEN & HANS BOLLEURS

Quem segue a gente no Instagram (segue lá! @dedodemoca) viu a foto desse brócolis confeitado essa semana. Ele é parte das obras de um casal holandês, que usa materiais do dia a dia (inclusive a comida) em cenários minimalistas para criar lindas fotos e animações em stop motion.

JASON MECIER

Esse artista faz mosaicos de comida ou objetos, que formam retratos de grandes personalidades, sempre com fatores que remetam as tais. Para ele, e para todos aqui, a arte não tem regras. Pode ser o retrato de uma personalidade queluta contra a obesidade feito inteiro de comida junk, ou um retrato da Amy Winehouse feito com pílulas, e todos viram grandes obras de arte.

CARL WARNER

Sua série “Foodscapes” (trocadilho com a palavra inglesa Ladscapes – Paisagens) usa alimentos pra criar lindas cenas, usando bem mais do que brócolis como árvores. Physallis viram luminárias, salmão vira mar e lasanha vira carroça. É muita criatividade, e o legal é que são imagens que talvez não olhássemos duas vezes para perceber que são feitas com comida!

KEVIN CHAMPENY

3000 balinhas de urso foram usadas para formar o lustre mais legal que já vimos na vida!

Por: Pati Abbondanza

Fundadora da Dedo de Moça e editora da plataforma, a Pati é formada em gastronomia e jornalismo. Cozinheira por paixão e jornalista por formação, se especializou em conteúdo de culinária e empreendedorismo. Também atua como consultora de diversas marcas como Arno, Clock, Tefal, Rochedo, Hipermercado Extra, Zwilling, entre outras. Sua inquietude e curiosidade faz com que a Dedo de Moça esteja sempre se reinventando. Foi assim que ela foi uma das 10 empresas selecionadas pela Food-x, a principal aceleradora de startups de gastronomia do mundo que fica em NYC, para a turma de outono em 2015.